8 jun 17h18

Vereador defende trabalhadores da saúde e reconhece papel do jornalismo

Não é raro - usando como exemplo a Câmara Municipal de Paracatu - vermos parlamentares fazerem críticas injustas a toda uma imprensa por causa de posts em blogs pessoais, banners em grupos de what's app e outros.

Não conseguem distinguir o que é imprensa do que é mídia social. Mas ontem, um suspiro de alívio foi expressado em um grupo de jornalistas profissionais de Paracatu com a definição precisa do vereador Gilsão do Paracatuzinho (MDB) que soube, muito bem, separar o joio do trigo.

O Vereador
Gilsão do Paracatuzinho (MDB), comentou a polêmica do final de semana quando profissionais da saúde de Paracatu foram “atacados” nas redes sociais em função do aumento do número de óbitos na UTI do Hospital Municipal e também por comentários sobre atendimentos diversos no Hospital.

Para Gilsão, está havendo uma inversão de valores e uma confusão na interpretação dos ataques sofridos por profissionais da área de saúde em Paracatu. Ele saiu em defesa daqueles que segundo ele “atuam diuturnamente para salvar vidas” e mais uma vez deu um tom de sinceridade e verdade aos discursos muitas vezes confusos na Câmara de Vereadores.

“-Não foi a população que atacou os profissionais de saúde, mas sim opiniões isoladas de pessoas que administram grupos de what’s app e redes sociais.
Eu não vejo que foi a sociedade que atacou os profissionais de saúde não, foi um grupo de what's app, pessoas que eu trato como aproveitadores da dor alheia.,” afirmou o parlamentar que ao contrário do que tem sido visto e ouvido no Legislativo, não quis generalizar a classe.

“-Existe sim a imprensa séria, que faz o seu trabalho, que representa a sociedade, mas existe uma 'mídia' que fica atrás de recurso, com o pensamento de que vou xingar, vou bater para eu receber algo em troca. Tem os que trabalham em prol de levar as notícias corretas, de fazer o seu papel, mas também tem aqueles que trabalham a troco de meia dúzia de 5 reais. Tem sim, não vamos tampar o sol com a peneira não!”
Finalizou Gilsão.

Sobre a Imprensa

Além ser a “máquina com que se imprime jornais e revistas, a máquina litográfica. A definição de Imprensa é o conjunto de jornais, revistas, publicações e meios de comunicação social que levam informação ao público, via de regra em formato Jornalístico Informativo.

Pela legalidade há inscrição do veículo no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e os profissionais atuantes registro DRT ou formação na área do Jornalismo, comunicação ou afins. Essas premissas garantem responsabilidade técnica, civil e eventualmente criminal.

Sobre a Mídia e Social Mídia

O universo midiático abrange uma série de diferentes plataformas que agem como meios para disseminar as informações e entretenimento, como os jornais, revistas, a televisão, o rádio e a internet, por exemplo.

Atua com especialidades da comunicação social, como a publicidade. A propaganda também se apropria dos meios midiáticos para atingir os seus objetivos, visto que a mídia atinge e exerce uma enorme influência na vida dos indivíduos na contemporaneidade.

Pela legalidade há inscrição do veículo no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e os profissionais atuantes registro profissional ou formação na área de publicidade propaganda, comunicação social ou afins. Assim como no caso anterior, os registros (similares a uma OAB, CRM, CREA e outros) garantem responsabilidade sobre as peças produzidas.

Sobre Grupos de What’s App e Mídias Sociais

Se o usuário utiliza o WhatsApp para se comunicar e compartilhar via status experiências com familiares e amigos, o aplicativo é uma rede social. Mas quando é utilizado para executar ações estratégicas de marketing digital, como entrar em contato com clientes, divulgar promoções ou eventos, criação de grupo para tirar dúvidas ou de debates, o WhatsApp é uma mídia social.

Em caso de crime, o administrador é corresponsável pelo delito, pois são responsáveis por ofensas feitas por membros, caso não ajam para impedi-las ou coibi-las. Esse foi inclusive o entendimento que a 34ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou uma mulher a indenizar outra que foi ofendida.





*Permitido compartilhamento e ou cópia desde preservada a fonte  (LEI Nº 9.610/98)

_____________________________________________
news blog comunica not reporter a midiadigital noroestemineiro facebook youtube tradutor google hotmail mercado livre whatsapp gmail  globo uol google tradutor previsão do tempo olx traduzir netflix yahoo messenger jogos instagram whatsapp web g1 outlook clima minecraft bol covid19 coronavirus pandemia paracatu vagas de emprego estágio

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti