12 ago 15h08

Gilsomar do Projeto é denunciado mais uma vez pela ex-esposa, por furto e ameaça

Uma semana depois de reassumir a sua cadeira na Câmara, o Vereador Gilsomar do Projeto (PC do B), que estava afastado das atividades do seu mandato em função de internação compulsória determinada pela justiça e passar por um período de internação para tratamento em uma Clínica Terapêutica da cidade, voltou a ser notícia de polícia.

A ex-companheira do parlamentar, registrou na tarde da última segunda-feira (10/08), mais uma ocorrência contra ele, dessa vez o motivo teria sido ameaça. 

A mulher relatou a Polícia Civil que tem um filho com o vereador e que, por esse motivo ele vai para João Pinheiro com frequência, para visitar a criança, e numa dessas visitas, ele teria furtado um tapete de sua casa para trocar por entorpecentes.

Segundo os policiais, a vítima contou que realmente havia denunciado o furto do
tapete em questão. E então, por volta das 15h do último domingo (09), por meio de conversa em um aplicativo de celular, recebeu mensagens de Gilsomar ameaçando-a por ter registrado queixa.

Entenda o caso.

Em 07 de novembro de 2019, o Vereador, foi preso, após pular o muro de uma residência, e de posse de uma faca, agredir fisicamente sua ex-esposa que se encontrava grávida, ameaça de morte mais duas pessoas e por desacato a autoridade, em João Pinheiro.

Vereador Gilsomar do projeto é preso após agredir esposa gravida e por desacato

Ao reassumir a cadeira de parlamentar na última segunda-feira (03/11), Gilsomar foi acolhido pelos seus pares que demostraram bastante sensibilidade com a situação do colega que para a maioria, "é mais uma vítima das drogas".

Corregedoria da Câmara arquivou outras denúncias por
prescrição de prazo.

O parlamentar ainda era alvo um processo na corregedoria da casa instaurado ainda no ano de 2019, em que uma Comissão Processante investiga possível quebra de decoro. Se fosse confirmada a quebra de decoro poderia levar à cassação definitiva do mandato do Vereador Gilsomar do Projeto (PC do B).

Um dos  motivos apresentados à época para investigação e quebra de decoro era
 o fato do Vereador não residir e Paracatu há mais de 6 meses, fato confirmado pessoalmente por comissão formada pelo Secretário Erasmo Neiva, o Advogado Marcos Braga e o Corregedor da casa, que foram até o Município de João Pinheiro – MG confirmar a informação além de outras acusações que pesam ao Vereador em razão de uma ocorrência policial registrada em novembro de 2019.

O Presidente da Câmara,
Vereador Wilson Martins (PSB), em entrevista à nossa reportagem disse que o andamento de novas denúncias fica à cargo da corregedora da Câmara.

"-Foi criada a comissão, aceitou a denúncia, mas o Vereador foi internado por determinação judicial e expirou o prazo. Acabando o prazo não tem mais o que fazer e o processo foi arquivado. Nem a mulher dele em João Pinheiro quis fazer representação contra ele,"
explicou o Presidente.

Procuramos à atual corregedora da Câmara, Vereadora
Nilda da Associação para confirmar o andamento do processo e se ela apresentaria nova denúncia, mas até o momento não recebemos retorno.

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti