24 jul 14h48

Lotação nas UTI’s aponta para colapso no Sistema de Saúde da região

A morte de um paciente de Paracatu em Unaí, confirmou a afirmação do Ministério Público desde o início da pandemia. PARACATU SÓ TEM UM LEITO DE UTI DESTINADO A COVID-19, outras cidades da região se mobilizaram e criaram novos leitos, que hoje salvam a nossa cidade.

No mês de maio, a promotora Ana Bárbara Canedo, emitiu uma recomendação de emergência para que Paracatu suspendesse o funcionamento de alguns setores da economia e se adequasse ao programa Minas Consciente ou a Deliberação 17 do governo do Estado que prevês uma volta segura e gradual da atividade econômica.

A prefeitura de Paracatu contrariou o Ministério Público e defendeu que o Hospital Municipal possuia, além de 08 leitos completos com respiradores pulmonares, mais 09 ventiladores adicionais, totalizando 17 leitos completos de UTI. Mas, após a revelação de transferência de pacientes de Paracatu para a cidade de Unaí, a prefeitura admitiu que possui um único leito de UTI para tratamento da Covid. Este leito está ocupado por uma idosa de 73 anos que testou positivo para o coronavirus. Isso explica porque os pacientes da covid-19 em estado grave estão sendo transferidos de Paracatu para a cidade de Unaí.

Na quarta-feira um homem e uma mulher partiram em ambulâncias do Núcleo médico e do Hospital Municipal rumo a UTI do hospital Santa Mônica de Unaí. Os dois foram acompanhados por um médico e um enfermeiro cada. O problema é que este hospital atingiu ontem 100% da capacidade de internação de pacientes da Covid-19 no hospital.

No HMU – Hospital Municipal de Unaí, 15 dos 22 leitos destinados a pacientes da covid já estão ocupados. Dez leitos tem respiradores e os outros 12 são comuns.

Para explicar o motivo da transferência de pacientes com a covid de Paracatu para Unaí, a assessoria de comunicação – ASCOM - esclareceu que o gerenciamento dos leitos de U.T.I para pacientes com Covid-19 nos municípios é realizado pelo programa estadual para regulação do acesso aos leitos. A UTI do Hospital Municipal de Paracatu dispõe de um leito reservado para pacientes com o novo coronavírus, mas o gerenciamento desse leito é feito pelo sistema estadual, e não pelo hospital. E como o sistema identificou a ocupação deste leito, encaminhou os pacientes para Unaí, onde foram criados dez novos leitos de UTI, no Hospital Santa Mônica.

De acordo ainda com a ASCOM da Prefeitura de Paracatu, tanto os dez leitos de UTI em Unaí como o leito em João Pinheiro foram criados para atender a região Noroeste, e não apenas aqueles respectivos municípios.



Nossa reportagem buscou ainda informação na Gerência Regional de Saúde para saber mais sobre o programa estadual de “regulação” de pacientes que é o argumento da Prefeitura de Paracatu para a transferência dos pacientes.

De acordo com o protocolo, “quando NÃO há leitos disponíveis no local de origem do paciente, é solicitada uma regulação (transferência) para onde HÁ leitos disponíveis. Ou seja, se houvesse leitos em Paracatu, a cidade não estaria dependendo de Unaí, João Pinheiro, Belo Horizonte e outras.



Imagem: Ilustrativa

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti