10 fev 22h00

Vereadores rejeitam análise de denúncia feita contra Prefeito Olavo Condé

A Câmara de Vereadores de Paracatu, rejeitou nesta segunda-feira (10/02) a denúncia apresentada pelo Ex-Vereador Gaspar Chaveiro, baseada nas recentes ações do Ministério Público que colocaram o Prefeito e Secretários como réus em processos de improbidade administrativa.

Para Gaspar Chaveiro, o Prefeito Olavo Condé (PSDB), “negligenciou na defesa dos bens do município, incorrendo infração prevista ao artigo 4º, VIII, do Decreto-Lei 201/1967, e a punição seria a cassação do mandato”.
“-O meu pedido foi baseado na lei e em cima de tudo aquilo que foi apresentado na denúncia do Ministério Público. É para interrupção à sequência de crimes que vem sendo cometidos em Paracatu. Isso seria obrigação da Câmara, porque o Vereador está aí pra fiscalizar o Prefeito, e deu no que deu”, lamentou o denunciante Gaspar, que acredita que a articulação da Secretária de Governo mudou o rumo da votação momentos antes da reunião.
“-É visível a manobra e a compra dos Vereadores né? A sobrinha do Prefeito estava dentro das salas aí, infelizmente o poder seduz e existem muitas pessoas que não tem hombridade e não tem moral e acabam cedendo por dinheiro. Por muito menos do que isso cassaram o Vereador Ragos e o Vereador Batista. Mas por que a lei não vale pro Prefeito?” Questionou Gaspar.
Questionado sobre o seu sentimento a respeito da rejeição ao seu “pedido de investigação”, Gaspar afirma que “apenas fez a sua obrigação” e que mesmo recebendo ameaças, não volta atrás com suas denúncias.
“-A população que está sendo traída. O povo que que aprenda a votar porque um voto mal dado faz isso, o povo aguentando um Vereador sem fazer nada e muitas vezes prejudicando o povo. Eu prefiro a morte do que ser corrompido,” finalizou.
Para ser aceita, a denúncia teria que ter tido metade mais um dos votos dos parlamentares.
Votaram contra aceitação e análise da denúncia, os Vereadores:
Edivar Andrade (MDB), George Linderski (DEM), Gilsão do Paracatuzinho (PRTB), Joãozinho Chapuleta (PSD), Marcone do Paracatuzinho (PC do B), Marli Ribeiro (PSC), Nilda da Associação (PC do B), Irmo Paraíba (PSDB) e Silvio Magalhães (PTB).
Votaram pela aceitação da denúncia, para que fosse feita a investigação do Prefeito, os Vereadores:
Jesué Mesquita (PHS), Joeli do Ônibus (PSC), Hernesto da Silva (SD), Marcos Oliveira (PSDB), Pedro Adjuto (PHS), Tio Miltinho (PHS) e o Presidente Wilson Martins (PSB).
Houve muito questionamento nas galerias e antes mesmo do final da reunião, as redes sociais já exibiam fotos, o placar da votação que “analisaria a denúncia” contra o Prefeito Condé e muitas teorias sobre negociações do Governo com favores pessoais aos Vereadores
“Negociação sempre teve e sempre terá!”
Para o líder de Governo Gilsão do Paracatuzinho (PRTB), “negociações são frequentes e normais dentro do ambiente Legislativo” e que há uma mobilização para “tomar a cadeira do Prefeito Condé.”
“-Todos os Vereadores que entraram aqui vão negociar, até o cidadão que questiona isso, com certeza já negociou aqui. Já teve negociação na presidência da Câmara, no primeiro mandato, no Vereador Ragos, no Presidente Wilson. Tem negociação sim e sempre vai ter.” Afirmou Gilsão que ainda antecipou que sua experiência política mostrava que esse cenário de “denuncismo” iria acontecer mais vezes.
“-Eu sabia que esse negócio de cassar Vereador ia virar modinha. Tem muita gente que está antecipando a política desde janeiro do ano passado. O MP fez a denúncia mas o Juiz negou, o Desembargador negou. Por que nós que temos que ser justiceiros?.” Questionou Gilsão.
“Tráfico de influências, doação de terrenos públicos e criação de cargos para atender apadrinhados”
Já o Vereador Pedro Adjuto (PHS), suspeita de um possível “tráfico de Influência nos bastidores da Câmara às vésperas da voração da denúncia” e diz que “foi um dia triste para a história de Paracatu.”
“-A gente sabe e tem informação que a mão do governo pesou na cabeça de alguns, mas essas coisas vão vir a tona no momento certo, na hora certa a população vai analisar e aos poucos as máscaras vai cair,” disse.
O parlamentar afirmou que o fato de “dois vereadores terem sido cassados pela casa com aceitação por unanimidade abriu o precedente e que os 9 parlamentares mudaram de opinião ficam sob suspeita. ”
“-Alguns Vereadores ganharam terrenos para suas empresas e instituições, cargos foram criados no final do ano e agora foram ocupados por pessoas indicadas pelos Vereadores que mudaram de ideia e outras coisas que estão por aparecer. Mas a população vai juntar o quebra cabeças. Basta a população olhar a pauta da Câmara e observar as doações e as nomeações que vai descobrir quem está de fato do lado do povo ou quem se vendeu por uma benesse pessoal, ” finalizou o Vereador Pedro, visivelmente abatido.
Tiro no pé: “Prefeito perdeu oportunidade de se explicar para a Comunidade.”
Milton de Jesus (PHS), avalia que “o governo perdeu uma oportunidade de se explicar de forma institucional e democrática e evitaria muitas acusações futuras.”
“-O que faríamos era apenas abrir um processo de investigação de uma denúncia que já foi feita pelo Ministério Público e o Prefeito teria condição de vir aqui, se defender e fazer um processo de esclarecimento sobre tantas acusações. Acredito que o Governo perdeu porque temos tantas vias de informação hoje, mas teríamos as pessoas acusadas, inclusive o Prefeito de vir aqui e falar o que realmente aconteceu na visão dele,” explicou Tio Miltinho
fullscreen

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti