6 jun 20h31

Penitenciária de Unaí faz parceria com Instituto Estadual de Florestas

Presos vão produzir mudas para ornamentação de praças e canteiros da cidade, e reflorestamento de áreas de preservação


Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), por meio da Penitenciária Agostinho de Oliveira Júnior e do Instituto Estadual de Florestas (IEF), estabeleceu parceria de trabalho para os internos da unidade prisional localizada em Unaí, no Norte de Minas. A assinatura simbólica do termo de parceria ocorreu na Superintendência Regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Noroeste (Supram). A iniciativa tem objetivo de proporcionar oportunidades de trabalho, capacitando os internos para produção de mudas de árvores nativas nos viveiros do IEF.

Para o diretor-geral da penitenciária, Paulo Henrique Pereira, a parceria é muito positiva para os envolvidos e também para a sociedade de modo geral, uma vez que, para o parceiro, é possível contratar mão de obra com custos menores, aumentar a produção e, consequentemente, economizar verbas públicas.

“A unidade prisional consegue profissionalizar o interno, aumentando as suas perspectivas para o momento do retorno à vida em comunidade, contribuindo para o processo de ressocialização”. As mudas produzidas serão utilizadas para a recomposição ambiental e a região receberá cidadãos qualificados para esse mercado de trabalho.

 
Pela parceria, um detento é capaz de produzir anualmente 24 mil mudas de árvores para reflorestamento. O supervisor regional do IEF, Roberto Batista Guimarães, responsável pelo projeto de parceria de trabalho no viveiro de mudas de árvores nativas, afirma a importância da colaboração.

“As parcerias entre as instituições é a solução para continuidade da prestação de serviços à sociedade, dentro de um cenário de contenção de gastos, e isso me traz uma grande satisfação como gestor público”.

 
Parceria municipal
A Penitenciária Agostinho de Oliveira Júnior mantém também uma parceria com a Prefeitura Municipal de Unaí no cultivo de mudas desde 2018, em que emprega mão de obra de 15 presos.
Os internos recebem três quartos do salário mínimo e têm direito à remição de pena, ou seja, a cada três dias trabalhados, menos um na sentença.
 
As mudas produzidas são destinadas para ornamentação de praças e canteiros da cidade, as plantas frutíferas são doadas aos moradores do município e as árvores nativas são destinadas ao reflorestamento de áreas de preservação ambiental.



Crédito fotos: Divulgação/Seap

fullscreen

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti