28 mai 2010 16h40

Programa Leite a Pasto revigora a vida no Campo

Maria Auxiliadora Caldas a e o marido José Carlos Vaz da Costa, conhecido por todos como Zequinha, são os proprietários da Unidade Demonstrativa da Região Santa Rosa. Auxiliadora e Zequinha tem 12 anos de casados. Quando se conheceram, ela já tinha seus dois filhos do primeiro casamento Sara e Adalberto.

Na época os dois trabalhavam na mesma fazenda, começaram a namorar e logo decidiram viver juntos.

Hoje os filhos e netas dela também são dele e é este sentimento que faz da familia um exemplo de união e persistência. O casal vive na Região Santa Rosa e administra dois lotes somando um total de 70 Ha. A propriedade tem 14 Ha de piquetes de 1 Ha cada. Eles usaram 7 Ha para cultivar a capineira e 6 Ha para cultivar o milheto e com 290 toneladas de silo para alimentação do rebanho no período da seca de 2010, Zequinha garante que pela primeira vez ele não vai precisar alugar pasto e nem comprar comida fora. Antes do Leite a Pasto eram produzidos na fazenda 80 litros/dia com 13 vacas em lactação, com média de curral de 6 k.

No ano passado chegaram a produzir 235 litros com 11 vacas, hoje são 136 litros /dia e a média de curral dobrou. A subdivisão das pastagens foi feita com áreas de descanso sombreadas, distribuição da água e saleiros, está sendo feito o manejo do esterco, foi implantado o calendário zoosanitário e o caderno de anotações, foram traçadas as estratégias de alimentação do rebanho na seca, as vacas foram adaptadas pela interação genótipo- ambiente foram feitas as análises e a correção do solo. Para 2010 o casal tem muitos planos que aos poucos já estão sendo concretizados, ainda este ano eles pretendem adquirir ordenha mecânica e ensiladeira. Para a seca de 2011 serão cultivados 6 Ha de milheto e até lá eles estão trabalhando para produzirem 500 litros/ dia. Antes do projeto, Auxiliadora conta que toda comida que eles conseguiam era pouca para alimentar o rebanho. Eles trabalhavam fora para alimentarem as vacas. “

Sempre estávamos endividados e o leite nunca dava lucro. Não tínhamos mais esperança porque não sabíamos onde agente ia chegar. Eu já tinha desistido de viver do leite e até meu casamento estava em risco pela falta de tranqüilidade com dinheiro.

Quando fiquei sabendo que a nossa propriedade ia ser Unidade Demonstrativa, chorei de emoção. Reconquistei minha dignidade e minha esperança, eu tinha certeza que a partir daquele momento tudo ia ser diferente. Tive minha vida de volta graças a este projeto abençoado”, conta auxiliadora. Zequinha completa dizendo: “pra mim este projeto representa conhecimento, segurança e estabilidade. Consegui organizar minha propriedade e os primeiros frutos já estão sendo colhidos”.

Emocionada, auxiliadora faz alguns agradecimentos: “Primeiramente agradeço a Deus por ter colocado Ditão em nossas vidas, foi através dele que as coisas melhoraram para nós. Me lembro que certa vez eu o indaguei: Ditão do céu, o que será feito da minha comunidade?

Ele sabiamente respondeu: Se aquiete, vem novidade por aí! Isso, eu jamais vou esquecer. Agradeço também a esta diretoria pela sensibilidade de acreditar nos pequenos produtores e a minha querida comunidade pela participação ativa nos dias de campo e pelo interesse no projeto. Se continuarmos assim, vamos longe e tenho certeza que juntos, vamos conseguir alcançar todos os nossos sonhos!!” destaca Maria Auxiliadora
fullscreen

Recentes

Mais Vistos

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti