29 dez 2018 19h28

Governo Condé termina o ano em crise política e desgaste com a Câmara

Politicamente falando o Governo Olavo Condé termina o ano com foco de uma crise política que se instalou após várias demissões de cargos comissionados na tarde desta sexta-feira (29/12). Segundo apurou a nossa reportagem, as demissões são uma represália aos partidos dos vereadores que apoiaram o Vereador Wilson Martins para a eleição à presidência da Câmara e foram contrários ao candidato apoiado pelo Prefeito, Vereador Paulinho.
Ainda não foi informado um número total de exonerações, mas já confirmamos um total de onze exonerações de cargos comissionados indicados por vereadores em troca do apoio ao governo na Câmara. Um dos demitidos sumariamente é o filho do ex-prefeito e ex-deputado Almir Paraca (PT), indicado pelo vereador Marcone do Paracatuzinho (PC do B). O próprio Vereador se manifestou em redes sociais sobre essa demissão em particular que segundo ele o deisou “revoltado e indignado”.
Falamos com alguns vereadores sobre o assunto. A maioria disse que ficou sabendo das exonerações pelas redes sociais. Já o vereador Gilsão do Paracatuzinho achou normal as demissões e enfatizou que isso sempre acontece no final de cada ano e que não acredita que o prefeito tenha feito tal ato em desagravo ao resultado da votação na Câmara Municipal.
O Presidente eleito da Câmara, Vereador Wilson Martins (PSB), entende que a disputa da mesa diretora na Câmara foi um processo normal para os parlamentares, mas que segundo ele “não deveria sofrer influências do executivo.”
“-Eu entendo o interesse do Prefeito em ter uma pessoa da confiança dele na Presidência da Câmara, mas não foi a vontade dos Vereadores. A intenção é fazer um trabalho independente do Legislativo, com todo respeito ao executivo e ajudar dentro do possível ao crescimento do município,” afirmou Wilson que também comentou as demissões dos comissionados indicados por Vereadores que o apoiaram.
“-Essas demissões ao meu ver foi um ato ilegal e entendo que a atitude do Prefeito não condiz com a atitude que ele deve ter. Ele pode até torcer por algum Vereador ser o Presidente mas jamais interferir, ele demonstra que é um ditador e está colocando dificuldade no relacionamento do executivo com o Legislativo,” finalizou o Presidente eleito da Câmara de Paracatu.
Secretário de Planejamento também está fora
Mas o maior golpe ao executivo de Paracatu aconteceu ainda no início da tarde de ontem. O secretário de Planejamento do Governo, Erasmo Neiva, tido como homem de confiança e principal conselheiro do Prefeito OIavo Condé protocolou seu pedido de desligamento da administração municipal. Erasmo é também o Presidente do Diretório do PSDB em Paracatu, partido que além do Prefeito tem 2 Vereadores na atual legislatura.
A produção do FM REPÓRTER entrou em contato com Erasmo Neiva e ele confirmou o pedido de afastamento, mas disse que não quer falar sobre o assunto por uma questão de ética. A nossa produção insistiu em uma entrevista e ele respondeu por mensagem “Calma, eu vou fazer isso após essa semana do feriado, tudo tem seu tempo.”, ponderou o secretário.
Entramos em contato também com a assessoria de comunicação da prefeitura que disse que iria se inteirar do assunto e nos retornar, mas até o momento não recebemos uma resposta oficial do governo Olavo Condé.
Fonte: FM Repórter

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti