28 set 2010 19h36

Os Prefeitáveis - Parte II

Semana passada, falei aqui sobre alguns nomes que são apontados como prováveis candidatos a prefeito de Paracatu nas eleições municipais de 2.012. As conversas e costuras de bastidores já existem, apesar de o pleito de 2.010 nem ter chegado ainda.

Depois dos três citados no comentário anterior, e ainda obedecendo a ordem alfabética, agora é a vez de João Gilberto Stephani, ex-vereador e ex-presidente da Câmara. Sem apoio expressivo e sem dinheiro, ele foi candidato a prefeito em 2.008 e não apresentou um bom desempenho eleitoral. Em compensação, presenteou a cidade com uma das mais limpas campanhas de que se tem notícia. Foi ético o tempo inteiro, não abrindo a boca para falar mal dos concorrentes uma vez que seja. Se lançar sua campanha de novo, terá autoridade para dizer que ainda há lugar para a decência na política. Se o eleitor compreender sua mensagem, suas chances crescem significativamente.

O nome do engenheiro Jueli Cardoso também está na lista dos “prefeitáveis”. Mas, igualmente, ele depende do que vai ocorrer na eleição do mês que vem. Se o seu irmão Almir Paraca for reeleito deputado estadual, sua atuação deverá ocorrer mesmo é na Assembleia Legislativa. Aí, as possibilidades locais de Jueli, que é chamado internamente de “capitão” por sua liderança e história no PT, aumentam ainda mais.

Jueli e Almir Paraca têm boas ligações com o ex-ministro Patrus Ananias, candidato a vice-governador de Minas. Na hipótese de vitória da dobradinha Hélio Costa/Patruz Ananias, fragilizada segundo as últimas pesquisas, o PT de Paracatu deverá sair fortalecido e animado.

Agora é a vez de falar do nome do empresário Olavo Condé, dono do grupo Elo Forte. Quem o conhece de perto se encanta com a sua simplicidade, capacidade e dedicação ao trabalho. O prefeito de Unaí, Antério Mânica, por exemplo, é um deles, que admite vir a Paracatu futuramente para abraçar sua possível candidatura. Condé obteve sucesso na construção de um grupo empresarial sólido e o eleitor poderá querer testar essa história de sucesso na administração pública.

Tem uma vantagem e uma desvantagem: não é nascido em Paracatu. Desvantagem: poderia ser vítima de uma campanha bairrista. Vantagem: cansados de ver a politicagem histórica local prejudicando a cidade, não faltam paracatuenses que dizem: “Paracatu só irá prá frente quando alguém de fora assumir a Prefeitura”.

Na próxima semana tem mais. Até lá!

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti