21 set 08h46

Copasa e Município são obrigados a garantir o fornecimento contínuo de água

A pedido do Ministério Público de Minas Gerais, a Justiça condenou a Copasa e o município de Paracatu, Noroeste do Estado, a garantirem o fornecimento contínuo de água potável durante todo o dia no município, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

A concessionária também foi multada em R$ 1 milhão pelos danos morais coletivos causados à população e, ainda, está obrigada a informar amplamente possíveis casos de interrupção no fornecimento de água, esclarecendo as razões, datas e horários.

Pela sentença, a Copasa e o município de Paracatu também devem desenvolver programas destinados a informar a população sobre o uso racional dos recursos hídricos e adotarem medidas de moderação do consumo. Segundo a promotora de Justiça Maria Constância da Costa Alvim, que deu continuidade a Ação Civil Pública (ACP) proposta pelo promotor de Justiça Paulo Campos Chaves, existe um problema histórico no fornecimento de água e esgoto em Paracatu. “Ficou demonstrado que a Copasa e o município vêm há anos sendo negligentes e omissos na prestação desses serviços”, disse.

Na ACP, o MPMG cita a falta de investimento na ampliação do serviço, o que vem causando a exaustão no sistema de abastecimento de água. Mostra também que o ápice da crise hídrica no município se deu em 2017, ocasião em que a população sofreu drasticamente com o racionamento e desabastecimento de água, levando, inclusive, o Centro de Hemodiálise local a interromper suas atividades. “Todos os bairros da cidade foram severamente privados do fornecimento diário e contínuo de água, devido à ineficiência da prestação do serviço público de abastecimento, bem como, grandes empresas, que foram obrigadas a conceder férias coletivas para seus empregados, o que lhes causou diversos prejuízos financeiros, logísticos”, narra trecho da ACP.

Com base nas provas apresentadas pelo MPMG, a Justiça ainda condenou o Município de Paracatu a cumprir, em caso de concessão do serviço de água e esgoto, o planejamento, as metas, os objetivos e as disposições da Lei Federal 11.445/2007, que estabeleceu diretrizes nacionais para o saneamento básico, e do Plano Municipal de Saneamento Básico. “Não é possível a população amargar, ano após ano, constantes faltas de água, sem que qualquer investimento e providência sejam adotados pela Copasa e pelo município de Paracatu”, disse Maria Constância.     

Fonte: MPMG

Fonte: MPMG



*Permitido compartilhamento e ou cópia desde preservada a fonte (LEI Nº 9.610/98)
 ____________________________________________
news blog comunica not reporter a midiadigital noroestemineiro facebook youtube tradutor google hotmail mercado livre whatsapp gmail globo uol google tradutor previsão do tempo olx traduzir netflix yahoo messenger jogos instagram whatsapp web g1 outlook clima minecraft bol covid19 coronavirus pandemia paracatu

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti