13 jul 17h14

Estrada de Ferro Paracatu e Maria Fumaça: Monumentos que a cidade merece

* Por Carlos Lima

Vive a cidade mãe do Noroeste de Minas, Paracatu, um intenso período de retomada do turismo, especialmente quanto a sua agenda de eventos culturais e de entretenimento. A nostálgica locomotiva símbolo da Estrada de Ferro Paracatu (EFP) poderia impulsionar ainda mais a visitação local se esse belo patrimônio cultural por aqui desembarcasse.

A justificativa mor para a aquisição da possante máquina que viria a tornar-se um imponente e marcante bem público para visitação da comunidade e dos turistas, está principalmente no fato de que o município empresta seu nome a uma das ferrovias mais antigas e extensas do Estado de Minas Gerais. Seria muito justo se a população e os visitantes viessem a ser presenteados com a bela Maria Fumaça e quem sabe até, com alguns vagões sobre os trilhos e uma pequena estação ferroviária.

Como se sabe por meio dos registros e relatos disponíveis, partindo-se da histórica Pitangui, na região central das Minas Gerais e atravessando Bom Despacho, onde hoje existe o Museu da Estrada de Ferro Paracatu, a EFP jamais alcançara Paracatu, e muito menos seu destino final na Serra das Araras na divisa entre Minas e Goiás: Morrera por volta de 1937 na Serra da Saudade (Estação Barra do Funchal), certamente pelas dificuldades financeiras daquele período e outras de natureza geográfica. Comenta em uma rede social o Sr. Moisés Melo sobre esse obstáculo: “o que causou a paralisação da obra [da EFP] foi um erro de cálculo na construção do túnel na serra da saudade, que causou a paralisação da construção”.

A instalação desse atrativo cultural, ainda que à princípio na sua forma estática, marcaria profundamente a história de Paracatu, com a construção de um monumento capaz de aludir a um projeto de mobilidade outrora almejado por muitos ao longo do século passado, com muitas promessas, sonhos e retrocessos (trilhos arrancados ao longo da Ferrovia!). De acordo com o escritor Oliveira Mello, pelo menos alguns trilhos teriam sido instalados por aqui no Açude (hoje bairro Alto do Açude), como ele referencia em foto do local.

Guardadas as devidas proporções relacionadas aos custos de transporte e restauro de uma locomotiva, vagões e outras estruturas necessárias, a aquisição por parte da municipalidade poderia ser feita junto ao Governo Federal, que detém um vasto patrimônio ferroviário em grande parte imobilizado, como noticiou o site do Correio Brasiliense em 2016: “O DNIT já recebeu da extinta RFFSA [Rede Ferroviária Federal S.A.] 1.150 vagões e 224 locomotivas não operacionais, mas ainda há pelo menos mais 7,4 mil vagões em fim de vida útil virando entulho”. Estaria aí a oportunidade também de revitalizar e manter viva a memória das estradas de ferro brasileiras.

Se abraçada for e tornada uma realidade no circuito turístico de Paracatu, a Maria Fumaça vai “rodar” sobre os trilhos da imaginação e garantir uma prazerosa viagem pela história dos transportes ferroviários, especialmente pela Estrada de Ferro Paracatu, de forma a ampliar inclusive as iniciativas e ações voltadas para a educação patrimonial no município berço da região Noroeste de Minas Gerais.

 
(*) Carlos Lima é graduado em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBa), é Pós-Graduado em Oracle, Java e Gerência de Projeto e é conservador e restaurador de documentos. Elaborou este artigo a partir de suas pesquisas nos fundos documentais do Arquivo Público de Paracatu – MG, com publicações no site: =AT3OLOr-lbxZxfviLPXidfB9UJAg1OpBCSurIzkmPvgnAFfK0q_eh591bMZ2d-3DK-utfNg3pd1OjCYsmvyQ_6l_6TABQtU41cttdfNB9hSTxHZet7O4ny6MNgduYlqw9K8rp11ePzD_qQodjoHES1fcFX2lNsBU5MFGhGkZjoJB2v4]https://paracatumemoria.wordpress.com/
 
Referências
 
BOM DESPACHO. Estação Ferroviária de Bom Despacho. Disponível em: < https://www.bomdespacho.mg.gov.br/estacao-ferroviaria-de.../ >. Acesso em: 08 Jul. 2022
 
LIMA, Carlos E. G. Uma Estrada de ferro no caminho de Paracatu. 2021. Disponível em: < https://paracatumemoria.wordpress.com/.../uma-estrada-de.../ >. Acesso em: 08 Jul. 2022.
 
Mais de 7 mil vagões abandonados viram sucatas por estradas do país. Correio Brasiliense. 2016. Disponível em: < https://www.correiobraziliense.com.br/.../mais-de-7-mil... > . Acesso em: 08 Jul. 2022.
 
Contribuiu com informações sobre a Estada de Ferro Paracatu (EFP) o senhor Moisés Melo por meio de seu comentário em dezembro de 2021 sobre a publicação Uma Estrada de ferro no caminho de Paracatu, no Grupo Memórias de Paracatu no Facebook.
 
Legenda:
1) Educação Patrimonial: Garoto observa a monumental locomotiva 325 da Estrada de Ferro Paracatu (EFP) em Bom Despacho MG
2) Estação da Estrada de Ferro Paracatu no século passado: Sem informações sobre sua localização.
3) Linha férrea no Alto do Açude em Paracatu-MG, conforme aponta o escritor Oliveira Mello. Foto 1024: Olímpio Gonzaga / Década 1930 / Acervo Arquivo Público de Paracatu. Foto colorizada através do site DeepAI
4) Herança da Estrada de Ferro Paracatu (EFP): Locomotiva n° 60 em 1930. Mais tarde, a EFP fora incorporada à Rede Mineira de Viação
fullscreen

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti