17 jul 2010 03h39

Casamento no Noroeste esfria investigaçãos do "Caso Bruno"

WebReporter
As investigaçãoes sobre o desaparecimento de Eliza Samudio sofreram um esfriamento no último final de semana.

O motivo teria sido o casamento do delegado Wagner Pinto, diretor da Delegacia de Crimes contra a Vida da capital mineira. No sábado um ônibus fretado teria saído da sede do Departamento de Investigações (DI) e levado policiais civis para a cerimônia, realizada em Unaí (MG), Noroeste de Minas.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Minas Gerais, Pinto estava em férias quando o caso do desaparecimento de Eliza começou a ser investigado. Ele teria retornado ao trabalho apenas para prestar apoio aos colegas. Ainda de acordo com a corporação, o casamento e o afastamento do delegado já estavam programados. Ele será substituído pelo delegado Frederico Abelha, assistente do DI.

Apenas três delegados permaneceram em atividade relacionada ao caso, em Belo Horizonte e em Contagem (MG), neste sábado. Alessandra Wilke, Júlio Wilke e Ana Maria Santos não fizeram diligências e nem ações de buscas pelo suposto corpo de Eliza. Segundo a Polícia Civil, os três foram convidados para o casamento de Pinto, mas não foram ao evento por conta da escala de plantão deles.

Um dos padrinhos do casamento que acontece em Unaí é o chefe do Departamento de Investigações, Edson Moreira. As buscas pelo corpo de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno, só devem ser retomadas na próxima segunda-feira.

A jovem Eliza Samudio, 25 anos, está desaparecida desde o início de junho deste ano. Segundo depoimentos ouvidos pela polícia, ela foi sequestrada e está morta. A investigação do caso tomou proporções que ultrapassaram os limites de Minas Gerais, mobilizando as polícias do Rio de Janeiro e de São Paulo. O estopim teria sido a apreensão do carro de Bruno, por problemas de documentação. Após a perícia, sangue humano foi encontrado no veículo.

Nascida em Foz do Iguaçu (PR), Eliza se mudou para São Paulo e posteriormente para o Rio. Em 2009, teve um relacionamento com o goleiro Bruno, então jogador do Flamengo. Ela brigava, na Justiça, pelo reconhecimento da paternidade do filho de 4 meses, que seria do jogador. Segundo o delegado Edson Moreira, responsável pelas investigações, esse poderia ser o motivo para o desaparecimento e para a possível morte de Eliza.

Nesta semana, seis suspeitos de envolvimento no desaparecimento dela foram presos e levados para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG). Um adolescente foi apreendido e o depoimento foi considerado pela polícia como peça chave na investigação. A ex-mulher do jogador foi levada para o Complexo Penitenciário Estevão Pinto, e outro suspeito foi levado para o Centro de Remanejamento de Presos São Cristovão (Ceresp).
fullscreen

Recentes

Mais Vistos

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti