16 out 17h14

Grávida que teve bebê retirado da barriga é encontrada morta em João Pinheiro

WebReporter
Uma jovem de 22 anos, grávida de oito meses, foi assassinada com requinte de crueldade e teve a criança retirada, em João Pinheiro. A principal suspeita, uma mulher de 40 anos, quase foi linchada por populares na tarde desta terça-feira (16/10).
De acordo com informações, o corpo de Mara Cristina, 22 anos, foi localizado por populares que ajudavam na busca, com sinais de crueldade extrema. Ela estava com o pescoço amarrado com uma espécie de corda, a meia altura e seu corpo encostado em uma árvore pequena, tudo indica que para ajudar na retirada da criança.
Ainda segundo informações, Mara estava praticamente sem roupas e com a barriga aberta e as vísceras expostas. O corpo foi localizado em um terreno perto de um Posto desativado da Polícia Rodoviária Federal, cerca de 100 metros após as margens da BR-040.
Uma mulher suspeita do crime foi presa, a polícia não descarta a participação de mais pessoas no crime que chocou a cidade. O caso está sendo investigado pela 6ª Delegacia de Polícia Civil de João Pinheiro.


ENTENDA O CASO:
A jovem estava desaparecida desde a tarde desta segunda-feira (15/10), o caso intrigava a Polícia Militar, já que uma mulher que era conhecida da jovem, compareceu ao Hospital Municipal de João Pinheiro, com o bebê enrolado em um pano e com um ferimento na cabeça dizendo que era a mãe do recém-nascido.
O médico que atendeu a mulher, disse que queria examinar o recém-nascido, o que foi negado pela mulher de nome Angelina. O médico verificou que a mulher não apresentava evidências de gravidez e de ter ganhado a criança horas antes. A Polícia Militar foi acionada para tentar elucidar o caso.
Familiares da jovem desaparecida estiveram no hospital e, questionaram Angelina sobre o paradeiro de Mara. Segundo informações, Mara Cristina estava morando com Angelina a aproximadamente uma semana, mas a mulher não soube informar o paradeiro de Mara.
Questionada pela Polícia Militar, a mulher relatou que a jovem Mara estava em uma residência no Bairro Itaipu. Uma guarnição da polícia e familiares da Mara estiveram na referida residência, mas a jovem não foi localizada.
Angelina ressaltou ainda que teve a ajuda de uma outra pessoa para realizar o parto da criança, porém não deu maiores detalhes. Angelina possui passagens policiais por roubo. A Polícia segue em rastreamento para tentar localizar a jovem Mara.
Devido a complicações respiratórias e nascer prematuro, o recém-nascido foi transferido para o Hospital São Lucas, em Patos de Minas, onde permanece internado.
Segundo o delegado que estava de plantão, Carlos Henrique Gomes Bueno, já foi possível apurar que a mulher detida tem algum transtorno mental, pois faz uso de medicação muito forte, fato confirmado inclusive pelo marido. Bueno também comentou que em depoimento ela informou que não conhece a terceira envolvida no fato.

Populares tentaram fazer justiça com as próprias mãos e tentaram linchar a suspeita. A suspeita chegou a cair ao solo, e o linchamento só não foi consumado graças à intervenção dos policiais, que conseguiram preservar a integridade da possível suspeita

Fonte: JPAgora
Fotos: 1 Destaque - local em que o corpo foi encontrado | 2 - Angelina, suspeita do crime deitada no chão após tentativa de lichamento | 3 - vítima |  reprodução de redes sociais
fullscreen

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti