7 mai 08h37

MP emite nota sobre prisão de advogado suspeito de tráfico de drogas

WebReporter
Depois de grande repercussão e das inúmeras versões que surgiram sobre as razões da prisão de um advogado suspeito de envolvimento no tráfico de drogas em Paracatu, o Ministério Público e o  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, núcleo de Paracatu, emitiram nota explicando a deflagração da Operação Reload.

A nota diz o seguinte:

“Após levantamentos sobre o comércio de drogas em Paracatu/MG o GAECO chegou ao nome de sentenciados que estavam cumprindo pena na APAC no regime semiaberto, realizando trabalho externo e aproveitando tal circunstância para praticarem o tráfico de drogas ilícitas.

O nome da Operação Reload, que em tradução literal do inglês significa recarregar, se deu em razão de R.P.R. e T.M.S terem sido presos, condenados e estarem em fase de execução de pena por delito de tráfico de drogas ocorrido no ano de 2015. Os indivíduo, mesmo sabendo das consequências de uma condenação, resolveram voltar a praticar a comercialização de entorpecentes na cidade.


Durante as investigações chegamos também ao nome de K.M.B, advogado militante da cidade que tinha como seus principais colaboradores, R.P.R e T.M.S., para a comercialização e armazenamento das drogas.

No gozo de suas saídas temporárias os investigados chegaram a ir para outros Estados a fim de efetivar a comercialização de drogas. O citado advogado articulava para que todos cumprissem suas saídas temporárias no mesmo período para facilitar os trâmites da organização criminosa.


Diante de tal situação, o GAECO realizou pedidos de interceptação telefônica e ação controlada contra os investigados, chegando ao nome de outros integrantes da organização.

No dia 28 de abril de 2018 em razão da ação controlada realizada pelo MPMG, e diante da evidente comercialização de drogas praticadas pelos integrantes, foi dado cumprimento às prisões em flagrante dos dois acautelados R.P.R. e T.M.S., bem como de outro integrante, A.P.C.. Em um dos endereços foi localizado aproximadamente 6kg de cocaína, pasta base, além da quantia de R$1.000,00(mil reais) em poder de um dos sentenciados. 

O GAECO com apoio de equipes da Polícia Militar cumpriu mandados de  busca e apreensão em 6 endereços utilizados pela organização criminosa e também localizou 12 pedras de crack de aproximadamente 585g, 1 tablete de maconha de aproximadamente 300g, 128g de ácido bórico, 1 arma calibre 765, 13 munições .32, 33 munições .38. Também foram presos e conduzidos as pessoas de P.H.A.A, T.P.A e A.L. em situação de flagrante delito por estarem armazenando e comercializando drogas.

Por fim, no dia 03/05/2018 foi preso em flagrante delito o integrante e advogado K.M.B., em virtude de ação controlada, o qual foi conduzido à DEPOL para esclarecimentos. Também foram cumpridos mandatos em sua residência e escritório onde foram apreendidos notebooks, telefones celulares e documentos de interesse criminalístico, um veículo S10 e uma Motocicleta Suzuki Bandit 650N oriunda do Estado do Espírito Santo.

O Ministério Público esclarece que foram observadas todas as prerrogativas interentes ao cargo de advogado, notadamente durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão no escritório do advogado K.M.B., sendo tal diligência acompanhada pelo Delegado de Prerrogativas da Subseção da OAB de Paracatu Bruno de Oliveira Franco.”


© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti