25 abr 00h00

Afinal, de que serve a Psicologia ?!

Mirelle Mendes Ribeiro
Ver imagem original

Muito se ouve falar sobre Psicologia, mas suas aplicabilidades e atuação ainda são pouco esclarecidas ao público em geral. A ausência de esclarecimento abre margem para a criação de alguns mitos que circulam pelo imaginário popular, por exemplo, aquela típica frase "Psicólogo é coisa de doido". Comecemos deste ponto então, e a primeira colocação a se fazer, é que não, psicólogo não é "coisa de doido", o psicólogo é um profissional graduado em Psicologia que se qualifica para o tratamento de doenças mentais, emocionais, sociais e demais aspectos que estejam relacionados com o bem-estar do ser humano, em suas relações com o ambiente e as pessoas de seu convívio, conflitos pessoais e sofrimentos emocionais. Percebe-se que o psicólogo não pode ser resumido na expressão "coisa de doido", muito pelo contrário, a expressão deveria ser "coisa de quem quer se manter saudável ou coisa de quem não está dando conta de resolver seus problemas sozinhos”. O fato do psicólogo também cuidar de pessoas com patologias mais graves, não quer dizer que todos que procuram um profissional desta área esteja gravemente doente, na maioria das vezes a procura é para que não se torne algo grave, pois tratamentos preventivos sempre são mais eficazes que os curativos.


Para falar de Psicologia, vamos evidenciar alguns pontos básicos:

  •     A Psicologia é uma ciência, por tanto, existe embasamento teórico e científico devidamente comprovado em todas as suas abordagens e técnicas nelas exercidas. Nada é "inventado", os estudos em Psicologia são realizados através de pesquisas rigorosas e por profissionais devidamente qualificados.

  •     Existem diferentes linhas teóricas na Psicologia, e cada uma possui características especificas e públicos diferentes. É como se fosse uma árvore e todos os seus galhos, imagine que a árvore e suas raízes é a Psicologia enquanto ciência, e os galhos que crescem dela são as diferentes abordagens que existem, mas que pertence à mesma ciência seriam elas, a Psicanálise, o Psicodrama, a Terapia Cognitiva Comportamental, entre outras. Em cada uma dessas abordagens o psicólogo atuará de maneira diferente diante o tratamento ou a prevenção de um possível problema. Além de ser formado em Psicologia, para atuar em uma dessas abordagens o profissional deverá possuir também uma especialização na área desejada. Assim como existe o pediatra, o cardiologista, o dermatologista, etc., mas todos eles são médicos, o psicólogo pode atuar em vários segmentos, como os citados anteriormente.

  •     Os critérios diagnósticos de determinada patologia, não são os de Revistas Pop Management, ou seja, o que serve para um não necessariamente servirá para outro mesmo que as histórias sejam correlatas. Para confirmar que determinada pessoa possui alguma patologia, é necessário um processo bem mais preciso do que 5 ou 6 perguntas encontradas no Google, sobre como você se sente e algumas outras características. Apesar de serem facilmente encontrados na internet, estes "testes" não possuem nenhuma validade científica. É comum nos depararmos com posts como "responda a estas 10 perguntas e descubra se possui personalidade bipolar", certamente não é assim que funciona, para fechar um diagnóstico exige-se tempo para análise do caso e principalmente qualificação profissional.

  •         A Psicologia pode ser exercida em diferentes contextos, como a Psicologia Hospitalar, a Psicologia Organizacional, a Psicologia Escolar, a Psicologia do Esporte, a Psicologia Forense, a Psicologia Clínica (geralmente a mais conhecida), entre outros. Portanto, aquela imagem do psicólogo sentado atrás de uma mesa conversando com um paciente deitado no divã, não corresponde muito à amplitude da profissão trazendo apenas uma visão Hollywoodiana à profissão.

  •         Existe um órgão federal regulador da profissão que é o Conselho Federal de Psicologia, este tem a função de regulamentar, orientar e fiscalizar o exercício profissional. Sim, os psicólogos passam por fiscalização, para que não exista o exercício ilegal da profissão (pessoas que não são formadas em psicologia que "atendem" ao público, aplicam "testes", entre outras coisas sem rigor científico), e também para que os profissionais regulamentados exerçam a função de acordo com o código de ética do psicólogo.

  •     Os Psicólogos são obrigados a manter sigilo profissional, tudo o que acontece no atendimento psicológico, independentemente do local ou da razão, deve ser guardado pelo psicólogo em absoluto sigilo. A quebra do sigilo profissional, levando a qualquer exposição da intimidade do paciente terá graves consequências, o psicólogo nessa situação responderá conforme exige a lei no código de ética da profissão. Sendo assim, jamais um psicólogo poderá falar o que um paciente diz em um atendimento expondo sua identidade a menos em casos específicos resguardados em Lei. Outras infrações do código de ética também são previstas e em algumas situações pode levar o profissional a perder o diploma e o direito de exercer a função.

  •        Os Psicólogos possuem um registro no Conselho Regional de Psicologia (CRP), todos os psicólogos legalmente regulamentados e autorizados a exercer a função possuem um número de registro, e é através desse número que é possível a fiscalização e regulamentação da profissão.



   De acordo com tudo o que aqui foi exposto é possível perceber a seriedade da profissão e seus amplos campos de atuação. A Psicologia é uma ciência que vem crescendo justamente por cada vez mais ser evidente a necessidade desse profissional em áreas como as citadas anteriormente e pela mudança na forma de entender o homem, que agora é visto em contexto envolvendo o fisiológico, o psicológico e o social. A Psicologia existe para que o ser humano esteja o mais próximo possível do conceito de saúde, como colocado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), o completo bem-estar físico, mental, emocional, social e ambiental. 

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti