3 abr 17h56

Quer Privacidade? Então saia do Facebook...

Glauber César Rodrigues
Nos últimos dias temos visto muitas manifesações sobre os supostos ataques à nossa privacidade on line não é mesmo?.  Tem sido um assunto muito recorrente.  O Mark Zuckenberg, criador do facebook foi até convidado a prestar esclarecimentos no parlamento Britânico.
Mas o que isso tem a ver com a gente?  Você tem uma conta no facebook?  Então tem tudo a ver...   Não tem uma conta no facebook?  Tem tudo a ver também...  afinal de contas, a suspeita é que as redes sociais estão “usando” as informações da população para “manipular o futuro da humanidade”, inclusive em eleições...
Mas vamos começar, respondendo a pergunta que está no x da discussão: “Não quer ter sua vida bisbilhotada? Não quer que suas informações pessoais estejam disponíveis para empresas e outras instituições? Quer ter privacidade? Então saia do facebook!
Impossível?  É bem provável que alguém responda isso...  Até eu mesmo acho que seria uma grande provação e privação de liberdade não poder navegar por esse mundo de informações particulares ou não...
Compartilhar detalhes da sua vida com amigos e ilustres desconhecidos nas redes sociais é uma prática comum no dia a dia de muitas pessoas. Existem até aqueles que pensam "Qual é a graça de comer uma comida diferente e não postar no Instagram?".
Brincadeiras à parte, fato é que muitas pessoas sentem que deixar de participar das redes sociais pode significar o mesmo que não ter mais amigos ou até mesmo uma vida social – sim, para muita gente a vida social acontece online. Acredite!  Mas é importante lembrar que existem diversos estudos que comprovam o quanto esse mundo conectado pode prejudicar nossas vidas em vez de melhorá-las.
É preciso você conhecer os seus limites e cuidar pra que isso não te prejudique! No seu trabalho, na escola, na faculdade, no relacionamento...
Aceite um fato: o Facebook, o What’s app ou qualquer outra rede social é viciante. Já falamos aqui várias vezes de estudos que comprovam que a rede social pode ser tão viciante quanto uma droga que causa dependência. Mas, ao contrário de fumar dois maços de cigarro por dia, por exemplo, é muito mais difícil notar as reações causadas pelo vício de Facebook, ou seja, você pode nem saber que o quão viciado está.
Se você faz parte do grupo de pessoas que tentou (ou não) se desligar do Facebook mas não conseguiu, vou te dar algumas razões que você pode chamar de alfinetadas ou mesmo um banho de realidade que podem te levar a considerar a desativação de sua conta, caso você concorde que controla o tempo que fica navegando e sim, que o facebook controla você.
Se você está procurando emprego, precisando de verdade, saia do facebook...
Embora estudos comprovem que 90% dos recrutadores analisam o perfil social de um candidato como parte do processo de triagem. O mesmo estudo aponta que 69% dos recrutadores já rejeitaram um candidato com base no conteúdo que viram. Mesmo que você se considere uma pessoal virtualmente discreta, nunca se sabe a reação que seus posts, curtidas, fotos e afins podem desencadear nos recrutadores.
Você também pode deixar o seu potencial empregador ciente de que você tinha uma conta no Facebook, mas optou por desativá-la para passar mais tempo no mundo real do que online. Isso pode deixar transparecer que você não é um viciado em Facebook e que acaba, com certeza, sendo mais produtivo no trabalho.
Se você está enfrentando o término de um relacionamento, faça um favor a todos os seus amigos virtuais e saia do Facebook. Pode ter certeza de que ninguém quer ler seus desabafos sentimentais, músicas de fossa e atualizações de status amargas. E pouca gente vai acreditar se você optar pelo outro lado e começar a postar fotos de festas sem fim e frases de maturidade. Além disso, a tendência é que o Facebook instigue seu lado “stalker” e prolongue ainda mais os sentimentos trazidos pelo fim do relacionamento.
E se você tem medo dos olhares maldosos, saia do facebook...
Não é nem preciso de estudo para provar que o Facebook desperta sentimentos controversos nas pessoas, como inveja e ciúmes. Acredite, ele existe.
A maioria das pessoas utiliza a rede social para postar momentos comemorativos, e a leitura contínua de momentos felizes das outras pessoas pode estar diretamente ligada a sentimentos negativos sobre si mesmo. Nem sou eu que falo isso, são os estudiosos da psicologia. Além disso, a inveja no Facebook reforça fofocas e assédios online. Desativar sua conta na rede social pode te livrar de uma frieza que se espalha cada vez mais pelo mundo virtual.



Fonte de pesquisa: canaltech.com.br
Com adaptações

© 2015 - PARACATU.NET - Todos Direitos Reservados. by #mndti